Termos veterinários: saiba quais são os principais neste guia

termos técnicos veterinários

Equipe SimplesVet  –  

Tempo de leitura: 10 minutos

Termos veterinários podem ser divididos em duas classificações distintas: o primeiro, que gira em torno de termos usados no dia a dia. Algo fundamental, por exemplo, para a identificação de desconfortos e para a apuração de diagnósticos.

Mas, também, existem os termos veterinários do CFMV (Conselho Federal de Medicina Veterinária). Esses são materiais que visam a obtenção do consentimento do tutor para a realização de qualquer procedimento. Essa é uma exigência do órgão regulador e contribui ativa e positivamente para proteger legalmente a sua clínica veterinária.

Isso pode acontecer, por exemplo, caso algum cliente proteste alguma ação que você ou a sua equipe tomaram, em caráter de urgência, para o tratamento de um animalzinho.

Para entender melhor como isso funciona e tudo mais em torno dos termos veterinários, preparamos este conteúdo suuuper completo sobre o assunto. Acompanhe a gente nos tópicos abaixo!

O que é semiologia na medicina veterinária?

Semiologia veterinária é o estudo dos métodos aplicados em exames clínicos focados na saúde do animal. Isso inclui a identificação e nomenclatura adequadas de sintomas e desconfortos, visando a construção de um diagnóstico efetivo dos pacientes. Consequentemente, contribuindo para a condução da melhor abordagem terapêutica possível. 

Acontece que a semiologia veterinária tem alguns desafios, como o fato de que os animaizinhos não conseguem expressar seus desconfortos tão bem quanto um paciente humano. Com isso, a sensibilidade do profissional e a anamnese veterinária se tornam essenciais.

Além, é claro, da própria semiologia veterinária. Afinal de contas, trata-se de um processo minucioso de avaliação e que se ramifica em três divisões de análise. São elas:

  • Semiotécnica — área que consiste na aplicação de todas as técnicas e práticas focadas na correta avaliação e no diagnóstico do paciente;
  • Clínica Propedêutica — coleta e interpretação de dados dos exames;
  • Semiogênese — avaliação dos sintomas (suas origens e desenvolvimentos) e também a explicação em torno desses sinais diagnosticados.

Dentro de todo esse guarda-chuva da medicina veterinária ainda existem os termos veterinários que se concentram em diversas áreas de especialidade diagnóstica.

A seguir, vamos falar sobre os principais deles, confira!

Aprenda também: tudo o que você precisa saber sobre o prontuário veterinário

Diagnósticos da saúde da pele

Existem diversos termos semiológicos veterinários aplicados exclusivamente para a avaliação da saúde da pele, como:

  • abscesso é um tipo de secreção que tem pus acumulado;
  • acromia é um termo usado para os casos em que a pele do animal perde sua cor natural;
  • alopécia é o fenômeno que causa a perda (parcial ou total) dos pelos;
  • cicatriz é uma lesão que já passou por todo o processo de cicatrização;
  • descamação é o processo de descamação da pele;
  • discromia é o termo veterinário usado para alterações na cor do pelo;
  • eritrodermia se refere ao sintoma de pele avermelhada do paciente;
  • flegmão é uma secreção com pus generalizado no corpo;
  • hiperlignificação é usado para definir um tipo de pele grossa e úmida;
  • hiperpigmentação (ou melanodermia) é uma classificação específica para a alteração na coloração da pele do animal, deixando-a mais escura;
  • hipotonia cutânea se caracteriza a partir da pele fina;
  • hipopigmentação. O termo está associado à perda da cor natural da pele — condição também conhecida como leucodermia;
  • hipotricose ajuda a definir uma perda acentuada no volume de pelos do animal;
  • leucotriquia é o termo usado para definir o fenômeno de clareamento dos pelos;
  • melanotriquia, por sua vez, é usado para referir-se ao escurecimento dos pelos;
  • petéquia caracterizada pelo surgimento de pontos arroxeados ao longo da pele;
  • equimose define o extravasamento de sangue dos vasos, causando manchas em tom roxo com até 3 cm de dimensões;
  • lesão vesiculobolhosa é uma queimadura que evolui para o formato de bolhas;
  • neoplasma (ou tumor) é um aglomerado anormal de células que origina a quantidade excessiva de tecidos localmente;
  • nódulo é uma lesão superior a 1 cm;
  • pápula é uma mancha de coloração rosa na pele;
  • placa é um tipo de saliência retangular;
  • sufusão se refere à condição acima, mas com áreas superiores a 3 cm.
termos veterinarios CRMV

Estrada Real (MG), cliente SimplesVet

Oftalmologia

Quando falamos na saúde ocular dos animais, os termos veterinários se agrupam nas seguintes classificações:

  • buftalmia é o aumento no tamanho do globo ocular;
  • catarata é uma doença caracterizada por olhos cristalinos e opacos;
  • ceratite é a condição estimulada pela inflamação da córnea;
  • episclerite — usado para referir-se aos olhos avermelhados;
  • hifema é o acúmulo de sangue na camada anterior;
  • hipópio é usado para definir o acúmulo de pus na câmara anterior;
  • midríase é o termo veterinário usado para referir-se à dilatação da pupila.
  • miose acontece a partir da contração da pupila.

Sistema respiratório e circulatório

Existem termos veterinários específicos para se referir às condições, doenças e sintomas do sistema respiratório e circulatório. Confira alguns dos principais, a seguir:

  • apneia é o termo usado para definir uma parada respiratória;
  • bradipneia se configura pela redução da frequência respiratória do paciente;
  • cianose é uma condição caracterizada por uma lesão de tom roxo azulado.
  • dispneia é uma condição pautada pela dificuldade em respirar;
  • paroxística é o ato de engasgar-se — algo que pode acontecer em diferentes graus de intensidade;
  • produtiva é uma classificação usada para casos de pneumonia ou broncopneumonia;
  • síncope é o que acontece quando um paciente desmaia;
  • taquipneia consiste no aumento da frequência respiratória;
  • tosse expiratória se refere a um problema no trato respiratório inferior;
  • tosse inspiratória se refere a um problema no trato respiratório superior;
  • tosse mista afeta o sistema cardiovascular.

Digestão animal

Conheça alguns termos veterinários que dizem respeito à digestão animal e vão, certamente, fazer parte da sua rotina de diagnósticos:

  • adipsia é uma condição causada pela falta de interesse em beber água;
  • anorexia é uma condição causada pelo desinteresse por comida (e/ou falta de apetite);
  • aquesia é um sintoma em que o animal não consegue defecar;
  • constipação se caracteriza pela incapacidade de defecar;
  • disfagia é uma condição que causa a dificuldade de deglutição;
  • disquesia é um episódio de dor ao defecar;
  • êmese consiste na ocorrência de vômitos (expelindo ou não outros elementos gástricos);
  • geofagia é o ato de comer terra;
  • hematêmese: usado par definir um vômito com a presença de sangue;
  • hematoquezia é usado para designar a presença de sangue nas fezes;
  • hiporexia é a perda de apetite;
  • incontinência é a incapacidade de controlar a defecação;
  • melena é um termo veterinário para definir a presença de sangue digerido (ou de tom escuro) nas fezes;
  • normodipsia é o ato constante e considerado normal de consumo de água;
  • normoquesia é o ato natural e normal de defecar;
  • normorexia (ou normofagia) se refere a uma condição regular de apetite;
  • parorexia tem a ver com o apetite desregulado;
  • oligodipsia é o termo usado para definir a necessidade de beber menos água;
  • oligoquesia se caracteriza quando o animal começa a defecar menos;
  • polidipsia é um termo aplicado para casos em que o paciente precisa beber mais água;
  • polifagia é um termo usado para o aumento de apetite;
  • regurgitação é o ato de expelir algum conteúdo ainda não digerido;
  • tenesmo é o termo aplicado para a defecação feita com esforço.

Sistema neurológico e locomotor

Com relação aos termos semiológicos veterinários do sistema neurológico e locomotor, podemos destacar os seguintes:

  • ataxia é o termo correlacionado à falta de coordenação motora;
  • claudicação — sinônimo para o ato de mancar;
  • fratura consiste na rachadura ou quebra de algum osso do corpo;
  • luxação, que é caracterizada pela dificuldade de congruência articular.
termo de responsabilidade veterinário

Cesvet (RJ), cliente SimplesVet

Sistema geniturinário

Por fim, podemos destacar alguns dos termos veterinários que fazem parte do sistema geniturinário, confira:

  • anúria, que é a falta de produção de urina;
  • colúria, que é configurada pela presença de espuma (escura e/ou amarelada) na urina;
  • estrangúria, que é o ato de urinar, mas acompanhado de episódios de desconforto e dor;
  • hematúria, por sua vez, se refere à presença de sangue na urina;
  • iscúria, quando ocorre a produção de urina, mas não a capacidade de eliminá-la;
  • oligúria, que consiste na baixa eliminação de urina;
  • poliúria, que é o aumento no volume de urina produzida;
  • polaciúria, um termo veterinário para definir o aumento na frequência de urina eliminada;
  • secreções são substâncias com ou sem a presença de pus.

Saiba mais: veja como montar uma clínica veterinária de sucesso

Controle de vacinas, estoque e mais.
Gestão pet é com SimplesVet.

Principais termos de consentimento veterinário

Além dos termos semiológicos veterinários, o seu setor de atuação possui termos veterinários que se referem a outro aspecto elementar da sua gestão e do atendimento médico: o consentimento dos tutores.

No geral, esses termos são documentos que demandam a leitura, a compreensão e a assinatura dos responsáveis pelo paciente diante da necessidade de realizar algum procedimento. O que não pode ser feito livre e espontaneamente pela vontade do médico veterinário.

A seguir, vamos explorá-los para que você não tenha dúvidas na hora de montar um material completo para ter o consentimento dos seus clientes.

Resolução CFMV 1321

Publicada em 2020, a Resolução CFMV 1321 foi uma revisão das regras em geral do exercício da profissão. O que inclui a implementação de deveres, responsabilidades, obrigações e cuidados ao montar o seu modelo de termos de consentimento veterinários.

Quem se responsabiliza por esse documento é o Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV). E a nova resolução visa, também, respaldar o profissional de medicina veterinária. É uma forma de direcionar as melhores práticas, modernizar o trabalho em geral da profissão e resguardar os direitos dos tutores e dos seus respectivos animais de estimação.

normoquesia veterinária

Reino Animal (MG), cliente SimplesVet

No que diz respeito aos termos veterinários, o CMFV não obriga o uso dos seus próprios modelos. Mas é uma boa forma de iniciar o processo de implementação de uso desses documentos em sua rotina e, posteriormente, adaptá-los conforme as necessidades observadas no dia a dia de sua clínica veterinária.

Alguns dos termos de consentimento que devem ser aplicados são relacionados a:

  • implementação de abordagens terapêuticas de risco (mínimo, moderado ou grave);
  • realização de exames; 
  • realização de procedimentos cirúrgico;
  • aplicação de anestésicos;
  • necessidade de internação;
  • remoção do corpo após constatado o óbito; 
  • eutanásia;
  • aplicação de algum tipo de tratamento (seja ele pós-cirúrgico ou clínico); 
  • retirada do paciente de sua internação sem a alta médica veterinária.

Entre outros pontos que vamos revisitar em mais detalhes nos tópicos abaixo, dê uma conferida!

Termo de autorização para internação veterinária

Esse tipo de termo visa obter o consentimento do tutor para que o seu animal de estimação seja internado para dar continuidade ao tratamento e observação do quadro clínico diagnosticado.

A importância desse tipo de material se explica, justamente, pela potencial gravidade da situação: eventuais circunstâncias (graves ou não) podem acontecer e o tutor tem que estar ciente de tais possibilidades diante da recomendação médica de internação do paciente.

Termo de eutanásia

A eutanásia é um processo que deve ser antecipado pela apresentação do termo de consentimento para esse procedimento.

Nesse documento, deve ser dito o que é, de fato, a eutanásia — afinal, nem todos conhecem o termo e a sua aplicação — e o que será feito para a sua realização.

Termo de isenção de responsabilidade veterinária

Os direitos veterinários tendem a cobrir toda a questão de obrigações, direitos, deveres e responsabilidades do profissional veterinário. Contudo, o tutor não precisa saber quais são e, tampouco, onde começam as suas próprias responsabilidades em um tratamento dos seus estimados animaizinhos.

Explicar isso faz parte do trabalho do médico veterinário. Para isso que serve o termo de isenção de responsabilidade veterinária, por exemplo. Nele, devem ser detalhados os fatores que estão ao alcance dos profissionais e os resultados que podem ser esperados.

Um problema pós-cirúrgico, por exemplo, em que não se constate erro médico por negligência ou omissão, serve como bom indicador de isenção de responsabilidade.

O mesmo vale para outro aspecto que discutiremos adiante, inclusive, a respeito da retirada do animal da clínica ou do hospital veterinário sem a alta médica.

termos técnicos anamnese veterinária

Levet (PR), cliente SimplesVet

Isso tudo deve constar no termo de consentimento. E, inclusive, se houver a negativa do tutor em assiná-lo, testemunhas podem servir para assinar o documento e garanti-lo como uso legal, posteriormente, diante de alguma necessidade.

Termo de recusa de exame veterinário

Além do termo de consentimento para a realização de exames, sua clínica deve estar respaldada para a solicitação de assinatura de um termo veterinário que comprove a recusa da realização do exame por parte do tutor. 

E, aqui, vale a mesma observação apontada no tópico anterior: se o tutor também se recusar a assinar o termo de consentimento, tenha dias testemunhas que informem comprovar os esclarecimentos prestados por você e que o tutor decidiu, mesmo assim, não seguir com o tratamento e tampouco assinar o documento.

Termo de autorização para o procedimento de cirurgia

Existe, ainda, um termo de consentimento para a realização de procedimentos cirúrgicos.

Nele, deve conter toda a explicação técnica e profissional sobre o que vai ser realizado, ao longo desse procedimento, a fim de eliminar toda e qualquer dúvida do seu cliente.

Não confunda, apenas, esse tipo de material com outro importantíssimo termo veterinário: o de aplicação de anestesia. São dois termos distintos e com finalidades específicas.

O que prevê o Código de Ética do veterinário?

O Código de Ética do Veterinário tem centenas de itens que apontam, especificamente, as principais obrigações, deveres e direitos intrínsecos à profissão.

Você pode conferi-lo na íntegra aqui, mas para este artigo específico sobre os termos veterinários, selecionamos um trecho que diz respeito às responsabilidades do profissional veterinário. Confira, abaixo:

“Art. 9º O médico veterinário será responsabilizado pelos atos que, no exercício

da profissão, praticar com dolo ou culpa, respondendo civil e penalmente pelas infrações

éticas e ações que venham a causar dano ao paciente ou ao cliente e, principalmente;

I – praticar atos profissionais que caracterizem:

a) a imperícia;

b) a imprudência;

c) a negligência.

II – delegar atos ou atribuições privativas da profissão de médico veterinário;

III – atribuir seus erros a terceiros e a circunstâncias ocasionais que possam

ser evitadas, mesmo quando solicitadas pelo cliente;

IV – deixar de esclarecer ao cliente sobre as consequências socioeconômicas,

ambientais e de saúde pública, provenientes das enfermidades de seus pacientes;

V – deixar de cumprir, sem justificativa, as normas emanadas dos órgãos ou

entidades públicas, inclusive dos Conselhos Federal e Regionais de Medicina Veterinária;

VI – deixar de atender às requisições administrativas e intimações emanadas

pelos órgãos ou entidades públicas dentro do prazo determinado;

VII – praticar qualquer ato profissional sem consentimento formal do cliente,

salvo em caso de iminente risco de morte ou de incapacidade permanente do paciente.”.

Mais de 6.700 empresas escolheram
SimplesVet para simplificar a gestão.

Conclusão

E aí, deu para perceber o quanto os termos veterinários se diversificam em questões importantíssimas para a rotina do seu trabalho e para garantir muito mais atenção e cuidado no relacionamento com seus pacientes e os seus respectivos tutores?

Esse é um trabalho minucioso, mas de fundamental relevância para garantir um nível de excelência impecável para a sua marca. Até por isso, a gente sempre faz questão de lembrar o quanto a tecnologia pode ser suuuuper útil para auxiliar em todos os aspectos da sua gestão — inclusive, com relação aos termos veterinários.

O SimplesVet é uma dessas ferramentas indispensáveis para qualquer negócio do mercado  pet. A função de prontuário médico da nossa plataforma digital é um auxiliar e tanto para manter o seu trabalho mais organizado, produtivo, ágil e eficiente. Afinal, nele você consegue manter um registro completo de cada um dos seus pacientes e ter muito mais capacidade analítica para tomar decisões precisas, assertivas e com a urgência que elas devem ser tomadas.

Quer saber mais a respeito e entender como o SimplesVet pode te ajudar nessa etapa importantíssima para o seu trabalho? Clique aqui e experimente o sistema gratuitamente por 7 dias!

Posts relacionados

Receba conteúdos exclusivos sobre o mercado pet

É suuuper simples: basta cadastrar seu nome e e-mail.

"*" indica campos obrigatórios